segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Trangênicos e sociedade

O tema "foi" deveras polêmico, porém parece que ninguém mais tá interessado em discutir. A gente prefere ficar na cômoda situação de deixar como está, que os outros se preocupem pela gente, se tiver algum problema. Aqueles que "tem tempo" e que "adoram" criar uma polêmica.
Bom, mas a questão não simplismente criar polêmica. A questão é de saúde pública, é ambiental, é de direito do consumidor e do produtor rural, é de mercado e monopólios, é social, é da área da biotecnologia... enfim, é de um monte de coisas. Quem não se interessa por uma pode se interessar por outra. E esse é o ponto forte do livro "Transgênicos para quem?" que foi lançado no Fórum Social Temático 2012 em Poa. O livro é uma publicação do NEAD/MDA e conta com diversos especialistas no assunto do Brasil e da França.
Acho que a gente não pode deixar esse assunto morrer, não podemos cair no comodismo. É SÓ(e reforço o só) com a pressão da sociedade que as coisas acontecem. Se deixarmos as corporações tomarem conta do nosso destino, em pouco tempo 1984 estará aí! A nossa sociedade é cada vez mais artificial, não nos preocupamos mais com a origem das coisas, com todo o processo que envolve sua fabricação. Sobre isso, vale esse vídeo:

Estamos distantes demais da realidade para sabermos que um salsichão comprado no super é feito com a carne de um animal que antes era vivo:

Temos que entender que somos animais e que fazemos parte deste planeta, não somos algo além dele ou pior, acima dele. Que as coisas acontecem em rede, que tudo é interligado, não só a internet.